terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Renan pressiona Temer a nomeá-lo ministro

Foto: ABr

De saída da presidência do Senado e para não perder influência, Renan pressiona presidente Michel e quer ser ministro.

 
Renan Calheiros não quer nem ouvir falar em distância do poder a partir do dia 1º de fevereiro de 2017, quando será substituído na presidência do Senado. Sem o cargo e a prerrogativa de usar aviões da Força Aérea Brasileira - FAB, Renan não quer encarar cidadãos indignados em voos de carreira. Senadores do PMDB não o querem líder da bancada, e ele pressiona o presidente da República Michel Temer a nomeá-lo ministro, com direito a usar jatinhos oficiais para se deslocar.

Além de exigir ministério, Renan fez chegar a Michel Temer que só aceitaria um ministério "de primeira linha". Nada de "segunda classe". De olho no desgaste do atual titular Alexandre de Moraes, Renan sinalizou ao Palácio do Planalto que adoraria voltar a ser ministro da Justiça. Caso consiga o cargo de ministro da Justiça, Renan será superior hierárquico da Polícia Federal, que o investiga em 12 inquéritos. Se nomear Renan, Michel Temer enfrentará a reação no Congresso. Alagoas já ocupa dois importantes ministérios: Turismo e Transportes.


Fonte: A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.
Postar um comentário