Banco do Nordeste 65 anos

quinta-feira, 23 de março de 2017

Eduardo Cunha pode ficar 'imprevisível' se continuar preso

 © Adriano Machado / Reuters

Advogados esperam agora decisão do Supremo Tribunal Federal - STF sobre pedido de habeas corpus


Depois de ter o pedido de habeas corpus negado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ), preso desde outubro passado por citações na Operação Lava Jato, agarra-se à possibilidade de ter o recurso que garantirá sua liberdade provisória aprovado pelo Supremo Tribunal Federal - STF. Se continuar preso na cadeia da Polícia Federal - PF do Paraná, a reação do ex-presidente da Câmara dos Deputados será "imprevisível", declarou um dos advogados de defesa à colunista Mônica Bergamo


"Se perder e continuar preso, ele vai surtar", garantiu membro da equipe de advogados. Acusado de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas na Lava Jato, Cunha viu o pedido de habeas corpus ser negado pela Quinta Turma da Corte, na última terça-feira (21/03), por unanimidade. Os advogados dele argumentaram não haver motivos para que o decreto determinasse a prisão de Cunha para encaminhar o mesmo pedido ao STF.

Postar um comentário