quinta-feira, 2 de março de 2017

Petista que dirigiu o Serpro na mira da Lava Jato


Marcos Mazoni é alvo de investigação de esquema de R$ 20 milhões



A Lava Jato investiga se o ex-diretor do Serpro - Serviço Federal de Processamento de Dados, Marcos Mazoni teve papel no esquema de corrupção que beneficiou o ex-ministro José Dirceu em contratos milionários de tecnologia para dois ministérios e a Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT, em 2014 e 2015, inclusive para as Olimpíadas. 

É que nada se decidia na área sem o parecer de Mazoni. O detalhe assombroso é que o esquema de corrupção funcionou quando José Dirceu já estava preso por ordem do juiz Ségio Moro. São investigados os ministérios do Desenvolvimento Social e Esporte, além de dirigentes da ANTT, feudo do PMDB do Senado Federal.

Marcos Mazoni foi um dos petistas mais raivosos com o impeachment. Chamou o governo interino até de "canalha", até ser demitido. O alvo central da investigação são os negócios de R$ 20 milhões da RT Serviços Especializados Eireli com o Governo Federal, em 2014 e 2015.



Postar um comentário