sexta-feira, 19 de maio de 2017

Em 25 anos, propina a emissário de Temer chegou a R$ 1 milhão por semana




A J&F Investimentos se comprometeu a pagar propina de até R$ 1 milhão por semana, durante um período de 25 anos, ao deputado federal afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB/PR), apontado como representante do presidente Michel Temer na negociata, caso fosse solucionada a disputa comercial do grupo com a Petrobras que tramita no Conselho Administrativo de Defesa Econômica - CADE. 

A conclusão é da Polícia Federal - PF a partir da conversa gravada entre Rocha Loures e o diretor de relações institucionais da J&F, Ricardo Saud um dos sete executivos do grupo que firmaram acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República - PGR. A PF também se baseia em anotações do delator sobre o cálculo de pagamento da vantagem indevida. 

Para a PF, o parlamentar e o delator acertaram que os pagamentos semanais poderiam chegar a R$ 1 milhão e que durariam por 25 anos, exatamente o tempo em que seria estendido um contrato entre uma empresa de energia do grupo e a Petrobras. Um ano tem 52 semanas; se o esquema fosse até o fim, os pagamentos seriam realizados por pelo menos 1.300 semanas.
Postar um comentário