Banco do Nordeste 65 anos

terça-feira, 23 de maio de 2017

JBS é suspeita de haver planejado meticulosamente sua saída do país



Apenas 20% da JBS de Joesley e Wesley ainda estão no Brasil. Os empresários tem vivido mais tempo nos Estados Unidos do que no Brasil.


O presidente da J&F e da JBS, Joesley Batista, está sob suspeita de haver preparado meticulosamente sua saída do País, por isso já se articula na Câmara dos Deputados a criação de uma CPI para investigar o esquema. Ao vazar a delação, o grupo já havia reduzido o Brasil a apenas 20% de operação, concentrando 70% de tudo nos Estados Unidos, a nova pátria dos delatores. 

O País que financiou o grupo virou "passado". Financiado pelo BNDES nos governos Lula e Dilma Rousseff, o grupo J&F/JBS saltou seu faturamento dos R$ 4 bilhões em 2007 para R$ 170 bilhões. Antes da delação, o "americanófilo" Joesley já vivia a maior parte do tempo nos EUA. Mas precisava se livrar das investigações no Brasil.

Com o esperto acordo de delação, os controladores da J&F/JBS se livraram de pelo menos 5 operações/ações penais muito cabeludas. Os delatores também deixam para trás dívida de R$ 1,8 bilhão junto ao INSS e a devolução dos quase R$ 13 bilhões que tomaram do BNDES.

 
Fonte: A informação é do jornalista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.
Postar um comentário