quarta-feira, 31 de maio de 2017

JBS será investigada por irregularidades no mercado financeiro




Nesta quarta-feira (31/05), a Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, aprovou a proposta de fiscalização e controle (PFC 117/2017) para a apuração de eventuais irregularidades do grupo J&F e suas empresas, como a JBS, no mercado financeiro. A ação, do relator Deputado Carlos Melles (Democratas/MG), acontecerá em conjunto com o Tribunal de Contas da União - TCU. A fiscalização poderá contar com o auxílio de outros órgãos como Banco Central do Brasil, Comissão de Valores Mobiliários (CMV), Ministério da Transparência, Fiscalização e (Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU) e AGU Advocacia-Geral da União.

"O grupo fez um estrago muito grande ao país. Uma delação de um valor absurdo e saíram ileso nesse processo. Eles usaram o dinheiro do Brasil, via Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e instituições brasileiras, e saíram ilesos, inclusive com acordo de leniência que nós vimos e vão pagar em 25 anos", comentou Melles. Ele afirma ser necessária a devolução à sociedade brasileira de tudo que o grupo tirou.

Desdobramento

Outro desdobramento da delação de Joelsey e Wesley foi a aprovação do requerimento de uma audiência pública de debate sobre o favorecimento suspeito em operações de câmbio no mercado financeiro dos proprietários da JBS. A aprovação aconteceu nesta quarta-feira (31/05), na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle.

CPMI

Na terça-feira (30/05), em uma sessão do Congresso Nacional, foi lido o requerimento de criação de uma comissão parlamentar mista de inquérito (CPMI) para investigar irregularidades que envolvam o grupo J&F e o BNDES. Fica a dever na comissão investigar também os procedimentos tomados durante o acordo de delação premiada celebrado entre os irmãos Batista e o Ministério Público Federal - MPF.

Postar um comentário