sábado, 3 de junho de 2017

Escândalo no governo do Maranhão: PF apreende dinheiro em órgão investigado



Polícia Federal apreende dinheiro vivo no caso de corrupção da saúde pública



Além de grande quantidade de dinheiro, a PF apreendeu também jóias, na sede do IDAC. Acumula mais de R$ 254 milhões em contratos com o governo Flávio Dino (PCdoB), do Maranhão, o Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania (Idac), alvo da Polícia Federal na 4ª fase da Operação Sermão aos Peixes, denominada Operação Rêmora. A PF investiga desvios de R$ 18 milhões destinados à saúde pública. Os contratos do IDAC com a gestão de Flávio Dino são quase três vezes maiores que os contratos firmados com o governo anterior, de Roseana Sarney (PMDB). Durante cumprimento de mandado de busca e apreensão na sede do IDAC, a PF apreendeu quantidade expressiva de dinheiro vivo e até jóias.

O governo mentiu

O site Atual7 informou neste sábado que apesar de o governo do Maranhão haver divulgado oficialmente que a Secretaria de Saúde do Maranhão "não terceirizava mais" os serviços da saúde pública estadual, implantado na gestão de Roseana Sarney, o governo Flávio Dino continuou contratando o IDAC, sem licitação, para administrar unidades públicas de saúde. Além dos contratos, foram assinados termos aditivos colocados sob suspeita pelo Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU) de servirem para abastecer a organização criminosa desarticulada pela PF.

Dos contratos que totalizam R$ 254.482.263,90 já foram efetivamente pagos R$ 195.799.674,44 (cento e noventa e cinco milhões, setecentos e noventa e nove mil, seiscentos e setenta e quatro reais e quarenta e quatro centavos), mas esse valor pode ser ainda maior após o governo Flávio Dino assinar contrato com o IDAC para administrar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município de Chapadinha. O valor desse novo não é publicamente conhecido.



Fonte: Diário do Poder
Postar um comentário