segunda-feira, 24 de julho de 2017

Carmém Lúcia: “Não há urgência para obter áudios”


 

A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha, entendeu que não há urgência no pedido da defesa do presidente do presidente Michel Temer para que a Polícia Federal - PF entregue cópia dos áudios do gravador do empresário Joesley Batista que foram recuperados por peritos. Segundo ela, o caso pode aguardar o fim do recesso do Judiciário, que termina semana que vem, para ser analisado pelo relator da Lava Jato no STF, Luiz Edson Fachin. 

Os advogados de Temer, Antônio Cláudio Mariz de Oliveira e Gustavo Guedes, pediram no fim de junho que Polícia Federal - PF respondesse perguntas que ficaram pendentes sobre a perícia na gravação da conversa entre Temer e Joesley. Eles também solicitaram acesso aos dois gravadores usados e a sete áudios recuperados e que tinham sido apagados dos equipamentos.


Postar um comentário