Banco do Nordeste 65 anos

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Desembargador manda soltar Geddel mesmo sem tornozeleira eletrônica



Ex-ministro será transferido do presídio da Papuda, em Brasília, para Salvador, onde cumprirá prisão domiciliar. Magistrado determinou que tornozeleira seja colocada quando ele chegar à Bahia.



O desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), determinou que o ex-ministro Geddel Vieira Lima seja solto mesmo sem tornozeleira eletrônica. Ele determinou que o equipamento seja colocado quando Geddel chegar a Salvador, onde cumprirá prisão domiciliar. Nesta quinta, o Ministério Público Federal fez novo pedido de prisão do ex-ministro.

Ney Bello notificou a Polícia Federal na Bahia sobre a decisão e também a Justiça Federal de Brasília, que havia determinado a prisão. O desembargador tomou a decisão após ter sido informado sobre a falta de tornozeleiras eletrônicas no Distrito Federal, o que vinha impedindo a transferência do ex-ministro para Salvador.

Na quarta-feira (12/07), Ney Bello autorizou Geddel a deixar o presídio da Papuda, em Brasília, e cumprir prisão domiciliar. O desembargador também determinou que Geddel não pode ter contato com outros investigados e deverá utilizar tornozeleira eletrônica. O governo do Distrito Federal informou que não tem tornozeleiras porque o contrato para fornecimento do equipamento foi assinado recentemente.

Postar um comentário